Parceiros

Artista do Mês

Luan Santana

Luan Santana

Melhor Musica
Te esperando 

Convênio para importar cubanos foi firmado antes do Mais Médicos

Publicado em Notícia, Saúde

Programa-Mais-Medicos

Mais de dois meses antes do lançamento oficial do programa Mais Médicos, o governo brasileiro já tinha assinado com a Opas (Organização Pan-Americana da Saúde, braço da OMS) o contrato que abriu caminho para importar 4.000 médicos cubanos.

Com data de 26 de abril deste ano, o “80º termo de cooperação técnica para desenvolvimento de ações vinculadas ao projeto de acesso da população brasileira à atenção básica em saúde” traça regras gerais para parcerias com a entidade.

Ministro acha ‘justo’ que Cuba fique com parte do salário de médicos
Vamos para onde os brasileiros não vão, diz cubano vaiado
Dilma vê ‘imenso preconceito’ contra os médicos cubanos

Válido por cinco anos prorrogáveis por igual período, ele serviu de base para que fosse firmado em agosto o convênio com Cuba.

Apesar de o contrato já estar valendo no lançamento do Mais Médicos, em julho, o Ministério da Saúde insistiu, na época, que os profissionais brasileiros eram a prioridade do programa.

Finalizada a primeira rodada de seleção do Mais Médicos, no início de agosto, apenas 10% das vagas foram ocupadas. Depois disso, o governo indicou que a solução seria um acordo para trazer os profissionais de Cuba.

Essa sinalização confirmou o que o então ministro Antonio Patriota (Relações Exteriores) já havia citado três meses antes como uma possibilidade em exame. Na época, a fala de Patriota criou um constrangimento ao governo diante da reação negativa.

Editoria de arte/Folhapress

A alternativa de importar médicos cubanos gerou insatisfações veladas até mesmo nos bastidores do governo. A maior crítica dentro da equipe da presidente Dilma Rousseff é que, indiretamente, o convênio serve como ajuda financeira para Cuba, que tem fortes ligações com o PT.

Isso porque o acordo não prevê o pagamento direto da bolsa de R$ 10 mil aos médicos cubanos, diferentemente do que acontece com os profissionais de outras nacionalidades selecionados no programa Mais Médicos.

O valor acertado no convênio (R$ 510 milhões) será pago à Opas, que fará o repasse a Cuba. Por esse serviço, a entidade receberá 5% do valor total (cerca de R$ 25 milhões).
A quantia que será repassada aos médicos cubanos não foi revelada pelo governo brasileiro.

Em contratos semelhantes com outros países, os cubanos recebem entre 25% e 40% do salário previsto. Em Cuba, um médico não costuma ganhar mais de US$ 40 (R$ 94).

O Ministério da Saúde afirma que assinou o termo de cooperação com a Opas, em abril, como um “guarda-chuva” para ações de reforço à atenção básica.

Foi uma forma de se calçar de diferentes alternativas para resolver a falta de médicos no SUS (Sistema Único de Saúde), apesar de a prioridade ser dada aos brasileiros, afirma a pasta.

Os dois primeiros termos de ajuste ao contrato original, explica o Ministério da Saúde, tiveram caráter mais teórico. O terceiro, sobre os médicos cubanos, teve impacto mais prático.

SHEILA D’AMORIM
JOHANNA NUBLAT
DE BRASÍLIA

Referência: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/08/1333677-convenio-para-importar-cubanos-foi-firmado-antes-do-mais-medicos.shtml

Sinalizar pelo seu site.

Hudson Freitas

Publicitário

Deixe um comentário

Contato

Demo Image
  • Rua 10, 685 - Centro - União de Minas/MG
  • Telefone: (34) 3456-1313
  • E-mail: clubefmuniao@gmail.com